Sonetos de Lisboa

SONETO 5
                                               
  Joed Venturini





Pode a Chuva deixar de cair lá do céu
Pode o sol esfriar, se cobrir com um véu
Pode a lua parar de à noite brilhar
Eu jamais deixarei, meu amor, de te amar


Podem as estações já não mais existir
E os rios deixar de ao mar ir fluir
Pode a fé acabar e cessar a razão
Por ti sempre há de bater o meu coração


Pode o tempo passar e a idade vencer
Tanta coisa mudar ou mesmo já não ser
Minha alma eu sei essa não mudará
O meu amor por ti jamais acabará

 

SONETO 6
Joed Venturini


Você não é Sereia
Mas me perdi no teu mar
E não é fada
Mas soube me encantar


Você não é rainha
Mas me governa o coração
E não sendo fantasia
Não deixa de ser ilusão


Você não é de filme
Mas sempre me comoveu
Desde o primeiro olhar
Minha alma submeteu


Você é apenas princesa
Do meu devoto amor
Mas enquanto viver
Não haverá superior

Lisboa, 16 de Abril de 1999


SONETO 7


No tocar a intimidade
No te ver paixão
No olhar cumplicidade
No querer a emoção


Sozinhos em companhia
Unidos tão docemente
No silêncio a sinfonia
De amar tão ternamente


Ligados no coração
Convergentes na alma
Num entrelaçar de mão
Numa noite fria e calma


E nosso amor nasceu
De uma fonte Divinal
E dela tanto bebeu
Que se tornou perenal

Joed Venturini
Lisboa, 16 de Abril de 1999


Soneto 8

Pela força de te querer
Me sinto fraco, incapaz
De nada serviria o poder
Se a alma não satisfaz

É que não se ama por obrigação
Num decreto de governante
O que manda no coração
Não tem a alma por mandante


Se é tão difícil vislumbrar
As causas de uma paixão
Bem aventurado vou me achar


Pois sem motivo visível
Me deste teu coração
Oh prazer indizível.

Joed Venturini
Lisboa 17 de Abril de 1999

LER ÚLTIMO SONETO DE LISBOA

5 comentários:

  1. Posso colocar uma destas poesias no meu blog?
    poesiaseversoseflores.blogspot.com

    Milena

    ResponderExcluir
  2. Querida irmã, todas as poesias podem ser copiadas, desde que coloquem a autoria. Fique à vontade, que seja bênção para muitos!

    ResponderExcluir
  3. Anônimo1/12/09

    claudia_garcia@openlink.com.br.
    Oi A paz do senhor,eu amo seus poemas! gostaria que você postasse poemas para mães que perderam seus filhos,eu perdi meu filho ele era Evangélico, e partiu aos 16 anos vitima de câncer, sinto muitas saudades e as vezes me sinto, desanimada, mas sei que o senhor é a nossa força e tenho muita esperança de um dia nos encontrar, por favor faça poemas de filhos que já partiram para o senhor.

    ResponderExcluir
  4. Querida irmã Cláudia, é um tema muito bonito e procurarei orar e me inspirar para que leia um poema que fale ao teu coração. Que Deus esteja sempre contigo!

    ResponderExcluir
  5. Olá pr. Joed tenho sido um leitor frequnte no seu blog, leio de tudo..rsrs de poesia a vida cristã..gosto dos seus escritos pois eles me estimulam a buscar a Deus cada dia e com mais seriedade. Sou um admirador do seu ministerio e realmente quero imitalo.. tive o privilegio de te conhecer e não esqueço disso. muito obrigado pastor você é do tipo que impulsiona quem quer crescer com Deus.

    ResponderExcluir

Obrigado por participar! Sua opinião é muito importante!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

CAMPOS BRANCOS

Quantos ainda morrerão sem ouvir o Evangelho? LER POEMA

MISSIONÁRIOS

MISSIONÁRIOS
Poema que traduz a renúncia de quem quer ser missionário
Poesia Bíblica baseada em I João 4:4
EM TODAS ESTAS COISAS...EU TE LOUVAREI!
Este poema foi escrito para nos lembrar que devemos louvar em todas as circunstâncias, como a oração de Habacuque, ainda que a figueira nào dê o seu fruto, todavia eu me alegrarei no Senhor da minha salvação. Ler poema Completo

poema de amor

AMOR, SEMPRE O AMOR
Este poema é uma homenagem aos casais que teimam em continuar apaixonados.  A chama do amor pode e deve ser alimentada! Ler Mais